AVANHANDAVA

O movimento juvenil Avanhandava surgiu em 1938, em plena ditadura Vargas, tendo de adotar um nome em tupi-guarani para evitar problemas com o governo e, ao mesmo tempo, proporcionar um encontro entre jovens judeus. O escotismo, com todas as suas peculiaridades, acabou se misturando à ideologia judaica e sionista do movimento, sempre ligado à Congregação Israelita Paulista. A plataforma ideológica e o objetivo de formar cidadãos conscientes e preocupados com os valores sociais e ambientais se mantiveram até os dias atuais, influenciando inúmeras gerações de jovens judeus no Brasil.

TODOS OS SÁBADOS

Das 14h as 18h, na CIP.

SAVE THE DATE

Acampamento de 4 a 9 de julho. Inscrições a partir de 7 de Maio.

CHAZIT HANOAR

O Movimento Juvenil Chazit Hanoar Hadrom Americait (Frente Juvenil da América do Sul) começou a ser formado no ano de 1959 com a criação de um grêmio de atividades gerais. Durante um seminário realizado em Campos do Jordão, jovens da Congregação Israelita Paulista, da Associação Religiosa Israelita (ARI – RJ) e da Sociedade Israelita Brasileira (Sibra – RS) decidiram criar um movimento juvenil sionista apartidário. O modelo adotado foi o da Jazit haNoar, já existente na Argentina, Uruguai e Chile. Surgia, enfim, a Chazit Hanoar. Já em 1962, a tnuá (movimento juvenil) enviou o seu primeiro representante para o Machon Le Madrichim (curso para monitores), em Israel. Até os dias atuais, centenas de jovens já viajaram a Israel em programas oficiais e muitos fizeram aliá (imigração para Israel). Atualmente, as kvutzot são divididas por faixa etária, a partir dos 7 anos. A Chazit Hanoar realiza atividades na Casa da Juventude da CIP com cerca de 180 jovens todos os sábados, às 14h, e machanot (acampamentos) nas férias.

TODOS OS SÁBADOS

Das 14h as 18h, na casa de juventude da CIP.

SAVE THE DATE

Machané de 2 a 8 de julho. Inscrições a partir de 7 de Maio.

COLÔNIA DA CIP

O Movimento Juvenil Colônia da CIP começou como um Campo de Estudos idealizado pelo Rabino Fritz Pinkuss, e com o tempo foi adquirindo seu caráter de movimento juvenil, até virar oficialmente uma tnuá no começo de 2017 ao entrar no Conselho Judaico Juvenil Sionista (CJJS). A ideologia da Colônia da CIP é norteada pelo judaísmo liberal, ativismo, juventude e educação. O grande objetivo da tnuá é transmitir conteúdos judaicos e valores universais, formando seres críticos. Para isso, é utilizada a metodologia da educação não-formal, ou seja, por meio de peúlot (dinâmicas e atividades) elaboradas pela equipe de madrichim. Por fim, somos filiados ao Netzer, movimento juvenil da WUPJ (World Judaism of Progressive Judaism). O trabalho com os chanichim ocorre em nossas temporadas em Campos do Jordão, nas férias de janeiro e julho, e mensalmente no Yom Rishon Olam (antigo Play the Call). As temporadas, que possuem duração de 6 a 12 dias, são divididas de acordo com a faixa etária das crianças, que variam entre 7 a 14 anos: Nitzanim (7-10), Alonim (11 até Bar e Bat-mitsvá) e Sharsheret (Bar e Bat-mitsvá até o primeiro ano do Ensino Médio). Ademais, em concomitância com o Manhigut (Curso de Formação de Madrichim da CIP), possuímos um período de formação de madrichim (Pré Hadrachá), o Teshug, que abrange uma temporada em Julho e peúlot mensais, divididas em M1 (15 anos) e M2 (16 anos). Vale ressaltar, que todo o nosso trabalho conta com o auxílio de uma Mechanechet (coordenador/a psico/pedagógico) e dos Rabinos da Congregação. Durante a temporada realizamos tfilot diários, possuímos comida kasher e estruturas de qualidade. O Yom Rishon Olam acontece aos domingos por diferentes lugares de São Paulo, com o objetivo de transformar a visão e a relação dos chanichim com a cidade em que eles vivem, o que ocorre por meio de ações sociais.

Próximas Colônias

  • Nitzanim (7 a 10 anos) • 22 a 29/Julho
  • Alonim (11 anos até Bat e Bar-mitsvá) • 1 a 10/Julho
  • Sharsheret (Bat e Bar-mitsvá até o primeiro ano do Ensino Médio) • 11 a 20/Julho
  • Teshug (15 e 16 anos – Pré Hadrachá) • 11 a 20/Julho

MANHIGUT

Curso de dois anos para o desenvolvimento das futuras lideranças e educadores de nossos movimentos juvenis, da CIP e da comunidade geral. Durante o período do curso buscamos aproximar nossos jovens da Ideia de que o educador de judaísmo tem que obter conteúdos judaicos e fazer com que estes dialoguem constantemente com sua realidade e de seus futuros educandos.                            Durante o curso trabalhamos com os alunos pedagogia e metodologias pedagógicas, mas temos como ênfase o conhecimento judaico, sua educação e transformação de conteúdos e valores em ações ou ao incentivo de ações grupais e individuais. Após um ano e meio de estudos os jovens alunos são desafiados a refletirem no que os incomoda em nossa sociedade e propor em grupo algum projeto de ativismo em resposta a este incomodo e também um projeto de conscientização de outros através da educação sobre o projeto pensado .

Quando?

Às sextas, das 16h às 18h30